10 filmes de aventura lançados em 2022 para assistir online

Aqui você confere o que foi destaque entre o público e crítica no ano de 2022. Todas as produções listadas estão disponíveis nas plataformas de streaming e aluguel como Netflix, HBO Max, Disney+, Globoplay, Claro TV+, entre outras. As produções também estão acompanhadas da repercussão da audiência e imprensa, elenco e enredo.

Lançada em novembro na Netflix, Terra dos Sonhos é uma adaptação das histórias em quadrinhos “Little Nemo in Slumberland”, do cartunista americano Winsor McCay (1869 – 1934), publicadas entre as décadas de 1910 e 1930. Já adaptada anteriormente em outras mídias, como cinema, teatro e até videogame, a obra ganhou uma nova versão atualizada dirigida por Frances Lawrence (Jogos Vorazes) e com Jason Momoa (Aquaman) e Marlow Barkley (Spirited – Um Conto Natalino) no elenco.

Nemo (Barkley) é uma garota que vai morar com o tio, Philip (Chris O’Dowd), depois que seu pai Peter (Kyle Chandler) sumiu no mar. Orfã de mãe e com pai desaparecido, ela tenta lidar com a nova vida na cidade grande. Porém, durante uma noite, sua cama ganha vida e leva a jovem até Slumberland, uma terra dos sonhos onde um malandro chamado Flip (Momoa) aguarda Nemo para juntos descobrirem um tesouro.

Diferente da obra de origem, o filme contém uma protagonista ao invés de um menino. No entanto, a estética onírica de Terra dos Sonhos ainda faz jus a fonte original. O título teve uma recepção mediana entre a imprensa, com metascore de 40 no Metacritic e tomatômetro de 37% no Rotten Tomatoes. Algo que diferiu da avaliação do público, que garantiu nota de 6,7 no IMDb (atingindo a posição 29 no ranking de popularidade do site), 6 no Metacritic e 87% de aprovação no Rotten Tomatoes.

O vilão dos quadrinhos da DC Comics chegou com status de anti-herói nos cinemas. Estrelado pelo astro The Rock (Jumanji), Adão Negro teve lançamento nas telonas em outubro, onde arrecadou US$ 384.2 (R$ 1.996 bilhão, na cotação atual do dólar) nas bilheterias mundiais. O longa teve direção de Jaume Collet-Serra (A Órfã) e contou com elenco de Pierce Brosnan (James Bond dos anos 1990), Noah Centineo (Para Todos os Garotos que Já Amei) e Sarah Shahi (Sex/Life).

Antes de se tornar o antagonista do herói Shazam, o escravo Teth-Adam (Dwayne “The Rock” Johnson) foi assassinado na cidade de Kahndaq, no Egito de 2600 antes de Cristo. Após ser ressuscitado pelos deuses e ter obtido os poderes do Mago Shazam, Teth renasce como Adão Negro e se revolta contra seus agressores. Milhares de anos se passam e o personagem acorda depois que um grupo mercenário tenta roubar a coroa de Sabbac, artefato que pertencia a seu antigo opressor.

O filme está disponível para aluguel no Amazon Prime Video, YouTube, Microsoft, Apple iTunes e Google Play Filmes por R$ 49,90. O título é uma nova tentativa da DC integrar seus heróis em um universo cinematográfico, desta vez com o comando de James Gunn – antes diretor na Marvel. Entre a crítica, o resultado foi considerado mediano, com notas de 41 no Metacritic e 39% no Rotten Tomatoes. Já entre o público, as avaliações foram positivas, com nota 6,7 no IMDb, 7.2 no Metacritic e aprovação de 89% no Rotten Tomatoes.

Diferente de outras epopeias cinematográficas da Marvel, Lobisomem na Noite só precisou de uma trama simples narrada em 54 minutos para cativar o público e crítica. Lançada como especial de Halloween no Disney+, o título é uma celebração da estética noir dos filmes de terror dos anos 1930 e 1940, como O Lobisomem (1941) e Drácula (1931). A média-metragem conta com Gabriel Garcia Bernal (Tempo), Laura Donnelly (Outlander) e Harriet Sansom Harris (Ratched)

Baseado nos quadrinhos Lobisomem da Noite e Bloodstone, ambos lançados pela Marvel, o filme narra uma disputa envolvendo caçadores sobrenaturais convocados por Verussa (Harriet Sansom Harris), viúva do caçador Ulysses Bloodstone. A prova consiste em caçar um monstro para ganhar um artefato poderoso. Entre os participantes, estão a filha de Ulysses (Laura Donnelly) e o enigmático Jack Russel (Gabriel Garcia Bernal), ambos interessados em outros propósitos no jogo.

O especial tem como diretor Michael Giacchino (compositor de Up – Altas Aventuras), que afirmou ter “muitas ideias” para futuras continuações. Algo aguardado pelo público e crítica, que registrou notas positivas nos agregadores de resenhas. No site IMDb, a produção tem nota de 7,2. O metascore do Metacritic é 69 entre a crítica e 7.2 entre os usuários. Já o tomatômetro do Rotten Tomatoes é de 90% entre a crítica, com aprovação de índice igual entre o público.

Uma das primeiras produções do começo de dezembro da Netflix, O Troll da Montanha traz um personagem típico do folclore europeu em uma aventura cinematográfica bem ao estilo hollywoodiano. O longa tem direção do cineasta norueguês Roar Uthaug, que já havia chamado atenção mundialmente com o filme A Onda (2015). Nesta nova produção, Uthaug pega emprestado o jeito “King Kong” de fazer filmes catastróficos com seres mitológicos gigantescos.

Na região montanhosa de Oslo, na Noruega, uma explosão causada por humanos desperta um gigante troll que há anos estava adormecido na natureza. Uma vez acordado, o monstro causa um rastro de destruição pela cidade. Cabe agora a paleontologista Nora Tidemann (Ine Marie Wilmann) descobrir como parar o troll, antes que ele destrua todo o país.

A abordagem narrativa, no primeiro momento, soa similar a outras produções clássicas como o japonês Godzilla (1954) e o já citado King Kong (1933). No entanto, o diferencial está nos aspectos da cultura nórdica inseridos no filme, além de reflexões sobre a preservação da natureza. Entre o público e crítica, O Troll da Montanha garantiu nota 5,9 no IMDb (com posição de número 8 no ranking de filmes populares), 4.9 entre os usuários do Metacrític, e 85% de aprovação da crítica no Rotten Tomatoes, bem como 59% entre o público.

5. Animais Fantásticos: O Segredo de Dumbledore

O terceiro filme do spin-off de Harry Potter movimentou as salas de cinema neste ano. Em especial, as telonas brasileiras, graças a participação da atriz Maria Fernanda Cândido (Jogo da Corrupção) no longa como a Ministra da Magia do Brasil, Vicência Santos. Disponível no HBO Max, a franquia segue mais uma vez com o diretor David Yates, além das atuações de Eddie Redmayne (O Enfermeiro da Noite), Jude Law (Sherlock Holmes), Ezra Miller (Liga da Justiça) e Mads Mikkelsen (Druk – Mais Uma Rodada).

No terceiro capítulo da saga, que se passa na década de 1930,o mago das trevas Gellert Grindelwald (Mikkelsen) deseja obter o controle no mundo mágico. Para conter a ambição do bruxo, Alvo Dumbledore (Law) convoca o pesquisador Newt Scamander (Redmayne) para liderar uma equipe de bruxos que tenham força e coragem suficiente para se opor ao controle de Grindewald.

Diferente do primeiro longa, o mais bem avaliado da nova série, Os Segredos de Dumbledore obteve críticas medianas na imprensa. No Metacritic, a nota é 47, enquanto no Rotten Tomatoes o índice é de 46%. Porém, os potterfans não se desagradaram com o longa e foram mais receptivos. No IMDb, o filme tem nota 6,2. No Metacritic, os usuários garantiram nota 5.3; já no Rotten Tomatoes, o índice ficou em 83%, a maior aprovação.

Ao romper com a maldição dos filmes de videogames que fracassam entre o público e crítica, como Super Mario Bros – O Filme (1993) e o recente Mortal Kombat (2021), Sonic aproveitou o hype gerado no primeiro longa e não demorou a ter uma continuação anunciada. Já disponível na Globoplay e Claro TV+, o segundo capítulo do ouriço azul conta com Ben Schwartz (Parks and Recreation), Jim Carrey (O Show de Truman), Idris Elba (Esquadrão Suicida) e James Marsden (X-Men – O Filme).

Já estabelecido na Terra, Sonic (Schwartz) tenta virar um herói para os humanos, mas suas tentativas são falhas e desagradam Tom Wachowski (Marsden), xerife que abriga o ouriço em sua casa. O que os dois não esperavam é que o vilão Dr. Robotinik (Carrey) está de volta, e desta vez acompanhado do guerreiro Knuckles (Idris Elba), ambos interessados em derrotar Sonic.

Com orçamento de US$ 110 milhões, Sonic 2 conseguiu uma bilheteria de US$ 402.7 milhões em todo o mundo, o que garantiu também mais um longa futuro – desta vez sem Jim Carrey, que resolveu se aposentar como ator. Na avaliação do público e crítica, a continuação rendeu nota 6,5 no IMDb, 47 no Metacritic (7.9 entre os usuários) e 69% no Rotten Tomatoes, sendo 96% entre a audiência.

O diretor Henry Selick é conhecido no meio da animação graças aos filmes O Estranho Mundo de Jack (1993) e Coraline (2009). Após um longo hiato desde o 2009, o cineasta está de volta com Wendell & Wild, mais uma obra em stop-motion que tem, entre os produtores, o também diretor Jordan Peele (Corra), que além da dublagem no longa também é um dos roteiristas. O elenco do filme conta com Angela Bassett (Pantera Negra), James Hong (Tudo Em Todo Lugar Ao Mesmo Tempo) e Lyric Ross (This Is Us).

Disponível na Netflix, a produção é uma mistura de comédia, horror e aventura. A orfã Katherine “Kat” Koniqua é uma adolescente rebelde e fã de punk rock. Um dia, ela é abordada por dois demônios chamados Wendell (Keegan-Michael Key) e Wild (Peele) que fazem um trato em troca da permanência dos dois na terra. Kat aceita, mas o acordo causa transtornos onde vive e a jovem agora busca desfazer o trato.

Em seu retorno, Henry Selick trouxe de volta o humor ácido e com estética sombria que já é marca registrada de seus filmes. Antes de ser lançado no streaming, o longa teve exibição na 47ª edição do Festival de Cinema de Toronto, além de salas seletas de cinema. O público e crítica deram críticas favoráveis nos agregadores, com nota 6,5 no IMDb, 69 no Metacritic (6.5 entre os usuários) e 80% de aprovação no Rotten Tomatoes, sendo 67% entre o público.

Uma animação que chegou discreta ao público, mas aos poucos ganhou a simpatia da crítica e da audiência foi A Fera do Mar, mais uma animação da Netflix. Com direção de Chris Williams (Operação Big Hero), o longa chegou na plataforma em junho e tem no elenco Karl Urban (The Boys), Jared Harris (Mad Men), Marianne Jean-Baptiste (Segredos & Mentiras) e Zaris-Angel Hator (Morbius).

Em um mundo onde monstros habitam a Terra, o caçador Jacob Holland (Urban) segue uma caçada contra um monstro chamado Red Bluster. A bordo do navio Imperador, o protagonista parte em busca da criatura marinha, mas descobre que uma órfã chamada Maisie Brumble (Hator) também está no navio, pois ela perdeu os pais em uma caçada contra Red Bluster e quer acompanhar Jacob na aventura.

Pouco antes do lançamento no streaming, a animação teve uma distribuição seleta nos cinemas. O longa garantiu o carisma do público e da imprensa, o que favoreceu nas notas em agregadores. No IMDb, o longa possui nota 7,1. Já no Metacritic, a produção tem metascore de 74 (7.3 entre os usuários) e tomatômetro de 93% no Rotten Tomatoes (sendo 84% entre a audiência).

A aventura épica de Viola Davis colocou a história de lutas e tradições do continente africano no mapa de Hollywood. O longa de Gina Prince-Bythewood (A Vida Secreta das Abelhas), disponível no Claro TV+, narra os conflitos da colonização europeia contra o exército Agojie, formado apenas por mulheres no antigo reino de Dahomey (oeste do continente africano). Além de Davis, que também é uma das produtoras, o filme conta com Thuso Mbedu (The Underground Railroad), Lashana Lynch (Capitã Marvel), Sheila Atim (Ferida) e John Boyega (Star Wars: Despertar da Força).

No oeste africano do século 19, a General Nanisca (Davis) lidera um exército que atende o rei Ghezo (Boyega). O monarca é pressionado pelo comerciante Santo Ferreira (Hero Fiennes Tiffin) a continuar o tráfico de escravos na região, ao contrário do que pensa Nanisca. Porém, além de lutar contra invasores, a general deve treinar a jovem indisciplinada Nawi (Mbedu) como uma das novas integrantes do seu exército.

Na agenda de divulgação do filme, Viola Davis veio até o Brasil participar de coletivas de imprensa e entrevistas para programas de TV. No país, além de falar sobre o longa, a atriz falou sobre a falta de representatividade de histórias sobre o continente africano. Tanto público e crítica exaltaram o longa, com nota de 6,7 no IMDb, 77 no Metacritic e 94% no Rotten Tomatoes – com 99% entre a audiência.

Um trem cheio de passageiros (e muitos assassinos) é a locação deste filme de ação e aventura disponível na Claro TV+. Dirigido por David Leitch (Deadpool 2) e adaptado do livro homônimo do escritor japonês Kōtarō Isaka, Trem-Bala traz um elenco de peso em uma trama de crime e competição. O longa é protagonizado por Brad Pitt (Clube da Luta) e conta com Sandra Bullock (Cidade Perdida), Aaron Taylor-Johnson (Kick-Ass), Brian Tyree Henry (Atlanta) e Joey King (A Barraca do Beijo).

Em um trem-bala saindo de Tóquio e com direção à Morioka, o assassino Ladybug (Pitt) tenta tranquilamente realizar sua última missão, após uma sucessão de fracassos nas anteriores. Ele deve levar uma maleta até o ponto final da viagem, mas outros cinco assassinos embarcados no vagão podem arruinar o trabalho de Ladybug. Para piorar, o trem explodirá caso a velocidade seja reduzida a 80km por hora.

O estilo de ação frenético que Leitch imprimiu em Deadpool 2 e em Atômica (2017) também está presente no filme, o que agradou a audiência fã produções do gênero. Entre o público, as notas foram 7,3 no IMDb, 7.1 no Metacritic e aprovação de 76% no Rotten Tomatoes. Já entre a crítica, mais exigente com a produção, as notas foram 49 no Metacritic e 53% de aprovação no Rotten Tomatoes.

Com informações de IMDb (1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10), Metacritic (1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10) e Rotten Tomatoes (1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10)

Deixe um comentário