Fique por dentro dos 10 celulares mais aguardados de 2023

Com a chegada de 2023, as expectativas para o lançamento de novos celulares começam a aumentar. Fabricantes como Apple, Motorola, Samsung e Xiaomi prometem animar o mercado de telefones com novidades que vão desde novos smartphones dobráveis até um suposto primeiro iPhone com entrada USB-C.

Para se ter uma ideia, até mesmo o Google estaria pensando em fazer um smartphone com tela dobrável nos próximos meses. Este campo deve passar por uma interessante efervescência. Confira a seguir mais detalhes dos 10 celulares mais aguardados de 2023.

O ano deve começar com um dos lançamentos mais esperados da Samsung: o Galaxy S23. Carro-chefe da fabricante sul-coreana, o celular possivelmente será anunciando em meados de fevereiro, durante o primeiro evento Galaxy Unpacked de 2023.

Rumores apontam que o S23 deve trazer entre suas principais características, o processador Snapdragon 8 Gen 2, anunciado recentemente pela Qualcomm, além de um jogo de câmeras com a principal de 200 megapixels, algo inédito para os aparelhos da marca.

Ao todo, a Samsung deve anunciar três modelos da linha, sendo o tradicional e as versões Plus, e Ultra. Segundo o site especializado GalaxyClub, o S23 Plus deve ter uma bateria de 4.700 mAh, enquanto o provável Galaxy S23 Ultra pode vir com um componente de 5.000 mAh.

Vale salientar que, por conta do aumento da inflação em alguns países importantes, os novos celulares da sul-coreana podem pesar um pouco mais no bolso do consumidor do que os lançados em 2022.

O ano de 2023 também poderá ser marcado não por um, mas por dois lançamentos da linha de dobráveis da Motorola. A fabricante estaria trabalhando em dois modelos do Motorola Razr , tratados internamente pelos codinomes Juno e Venus. No entanto, até o momento não há informações sobre a data de lançamento, preço e nem em quais países devem chegar.

O smartphone dobrável mais recente da subsidiária da Lenovo passou por um lançamento morno na China e sequer chegou ao Brasil. Ou seja, o anúncio de dois modelos seria um passo arriscado para a marca.

O presidente global da Motorola, Sergio Buniac, afirmou que a companhia deve diminuir a quantidade aparelhos diferentes disponíveis no varejo em até 30%. Os modelos devem contemplar desde um suposto Moto G Play – atendendo aqueles que não podem investir em aparelhos topo de linha – até aparelhos premium como ThinkPhone, com processador Snapdragon 8 Plus Gen 1 e a possível chegada do Moto X40 ao Brasil.

Outro gigante que deve investir em modelos dobráveis para o seu catálogo é o Google. Boatos indicam que a linha Pixel deverá ganhar uma versão flexível. Mesmo que a expectativa para que isso aconteça não seja exatamente nova (há anos o Pixel Fold aparece entre os rumores quando se aposta em previsões para novos dobráveis), informações sobre sua possível ficha técnica estão aparecendo e deixando o consumidor sonhar com o novo modelo da linha.

O celular pode ter uma tela OLED dobrável de 7,6 polegadas, uma tela externa de 5,8 polegadas e um chipset Tensor – ou mais provavelmente Tensor G2, com um design ao Fold da Samsung, mas com a traseira tradicional da linha Pixel. A aposta da gigante no modelo não seria uma grande surpresa, principalmente dado o sucesso de vendas dos celulares da Samsung.

TM Roh, líder da área de dispositivos móveis da sul-coreana, revelou que a empresa superou as projeções de vendas de smartphones dobráveis no ano passado e que se espera que as remessas globais cresçam cerca de dez vezes até 2023.

Quem também deve entrar na corrida dos celulares dobráveis é a Oppo. A fabricante chinesa anunciou agora no fim do ano seus novos modelos Oppo Find N2 e Oppo Find N2 Flip, ambos com displays flexíveis. Oppo Find N2 é uma continuação do Find N, com uma tela externa AMOLED de 5,54 polegadas e taxa de atualização de 120 Hz. Aberto, o celular ganha um display interno de 7,1 polegadas, com a mesma taxa de atualização, além de ter o novo Snapdragon.

A versão Flip do dispositivo traria o design semelhante ao Z Flip da Samsung. A tela interna será de AMOLED flexível com 6,8 polegadas, resolução Full HD e taxa de atualização de 120 Hz. O telefone ainda contaria com um display OLED externo com 3,26 polegadas, resolução de 720p e taxa de atualização de 60 Hz.

O processador aqui fica por conta do chip Dimensity 9000 Plus e o celular traz, entre os destaques, câmera principal de 50 MP e bateria de 4.300mAh. Em setembro a fabricante fez a sua estreia no mercado brasileiro e a expectativa é que os modelos topo de linha da marca comecem a chegar por aqui em 2023.

Os celulares da Apple sempre geram bastante expectativa no público, ávido por novidades do mercado mobile. Este ano deve ser ainda mais interessante com a possibilidade da maçã lançar o primeiro iPhone com entrada USB-C de sua história. Além disso, rumores apontam que a gigante de Cupertino deverá anunciar o iPhone 15 Ultra, o mais caro de seu catálogo, com melhorias nas câmeras e na carcaça – que deve ganhar uma provável estrutura de titânio, mais resistente do que o alumínio usado atualmente.

A Apple pode substituir a nomenclatura do modelo Pro Max para o Ultra, adicionando também um botão lateral em formato sólido, substituindo o tradicional com tecla física. Entretanto, nenhuma dessas informações foi oficialmente confirmada pela fabricante. Informações mais concretas sobre o lançamento das novas versões do iPhone 15 devem chegar com a proximidade do evento de lançamento do celular, que acontece tradicionalmente em setembro.

Os aguardados celulares Xiaomi 13 e Xiaomi 13 Pro devem fazer bonito nas prateleiras do comércio global em 2023. Carros-chefes da marca chinesa, os dois aparelhos possuem o novo processador Snapdragon 8 Gen 2 (Qualcomm) com até 12 GB de memória RAM e até 512 GB de armazenamento, além de uma tela OLED com taxa de atualização de 120 Hz.

Apesar de estarem disponíveis apenas no mercado asiático, a ficha técnica robusta não tardará a despertar o interesse dos consumidores ocidentais. O destaque fica para as lentes da Leica, marca mundialmente reconhecida no ramo da fotografia, presente nos dois modelos. A grande diferença entre os celulares topo de linha da Xiaomi está no tamanho da tela, pois enquanto o menor possui 6,36 polegadas e resolução Full HD+, o maior tem um display de 6,73” com Quad HD+.

O formato do Xiaomi 13 Pro também ganhou um acabamento mais fino que sua versão tradicional. Apesar da grande expectativa, ainda não se sabe quando ou se os aparelhos vão desembarcar no Brasil em 2023.

O Galaxy Z Flip abocanhou cerca de 70% das vendas dos mais de 10 milhões de telefones da linha de dobráveis da Samsung. Com isso, a empresa sul-coreana espera que o sucesso continue com a possível renovação do popular modelo agora neste ano de 2023. Queridinho da marca, o celular pode ganhar um novo display externo, maior que o atual, com aproximadamente 3 polegadas – um aumento de 60% em relação à geração lançada no ano passado.

É provável que a Samsung também invista em uma nova dobradiça para o Galaxy Z Flip 5. Rumores indicam que a intenção da gigante é aprimorar para que ela fique menos perceptível do que no Galaxy Z Flip 4 e seus modelos anteriores. Novos recursos também devem chegar ao aparelho, já que a empresa revelou recentemente que pretende vender 26 milhões de telefones dobráveis no próximo ano, seguindo como líder do seguimento no mercado global.

Outro que deve ganhar uma nova versão é o robusto Galaxy Z Fold 5. Assim como tem acontecido nos últimos anos, o anúncio do aparelho deve ser feito apenas em agosto de 2023, então, até lá muita coisa ainda pode mudar. Rumores indicam que a Samsung quer tornar o celular mais leve do que o modelo anterior, que ainda passa a sensação de que o usuário carrega dois telefones ao invés de um só.

A sul-coreana deve investir também na ficha técnica do smartphone. Um vazamento inicial apontou que o celular dobrável deverá ser equipado com o processador Snapdragon 8 Gen 2. Outro detalhe que se pode esperar é a repetição das câmeras presentes no Galaxy Z Fold 4. Se as especulações sobre o reajuste nos valores dos celulares da Samsung em alguns mercados se mostrarem verdadeiras, o preço do aparelho deve ser um pouco mais salgado neste próximo lançamento.

Apesar de não ter chegado por aqui, o novo celular da Sony, Xperia 1 IV, lançado em 2022, fez bastante sucesso entre a mídia internacional especializada. O celular com sistema operacional Android foi considerado o carro-chefe mais impressionante da marca em anos. Grande parte dessa fama se deu graças aos recursos de câmera com zoom óptico contínuo entre 3,5x e 5,2x.

Mesmo que ainda não haja nenhum forte rumor sobre a continuidade do aparelho, a expectativa é de que uma possível versão, o Sony Xperia 1 V, seja anunciada em 2023. A parte negativa é que se a Sony seguir os passos do modelo lançado lá fora, a empresa terá um celular intermediário com preço de telefone premium. Mas quem sabe a fabricante não consiga criar uma versão mais acessível do telefone.

Mesmo que não seja vendida no Brasil, a linha Pixel do Google é bastante popular, principalmente nos Estados Unidos. Por isso, não poderíamos deixar de fora a expectativa pelo Pixel 8. Se as especulações estiverem corretas o aparelho deverá ser equipado com processador Tensor G3. A ficha técnica do celular também poderá contar com suporte de comunicações via satélite e 12 GB de RAM, além de muita memória interna para armazenamento de arquivos.

Melhorias do software, principalmente quando combinadas com um novo Android também são aguardadas pelos fãs do aparelho. Esses aprimoramentos devem refletir no uso das câmeras, em recursos que usam Inteligência Artificial e um carregamento otimizado para o celular – uma vez que algumas das críticas mais persistentes em relação ao modelo anterior foi sobre a demora na recarga do telefone.

Com informações de TechRadar e Android Authority

Deixe um comentário