Qual foi o primeiro videogame do mundo?

Você sabia que o primeiro console de videogame do mundo se chamava Magnavox Odyssey? O aparelho foi lançado em 1972 pela empresa Magnavox, uma subsidiária da Philips, e ficou famoso por trazer uma tecnologia incrível para a época: conectar-se à televisão.

O console era baseado em um protótipo chamado “Brown Box” (caixa marrom, em inglês), criado pelos engenheiros Ralph Baer, Bill Harrison e Bill Rusch. Porém, quem é considerado o “pai dos videogames” é Baer (1922-2014), um alemão naturalizado estadunidense.

O Magnavox Odyssey, lançado em 1972 (Foto: Rich Strauss/National Museum of American History, Smithsonian Institution)

Apesar de impressionante, o Odyssey tinha várias limitações técnicas, como a ausência de cores e de áudio, por exemplo. Os gráficos também eram bem simples: um dos games mais famosos era um “ping-pong”, em que os jogadores moviam duas barras de luz para acertar uma bola em movimento.

O problema das cores era driblado através de uma gambiarra: cada jogo vinha com camadas de plástico que, quando colocadas sob a tela da TV, davam a impressão de visuais e detalhes coloridos. Dependendo da sobreposição, era possível visualizar uma quadra de tênis, um campo de futebol americano, uma casa mal-assombrada, entre outros estilos.

Ralph Baer, o “pai dos videogames” (Foto: Major Nelson/Flickr/Creative Commons)

O console era alimentado por bateria e vinha com dados, planilhas de pontuação (o jogador precisava anotar tudo manualmente), fichas de pôquer e tabuleiros de jogo. Há rumores de que Baer queria desenvolver “cartuchos ativos” com efeitos sonoros e componentes gráficos mais potentes, mas o projeto não se concretizou. No entanto, ele desenvolveu a primeira light gun do mundo, uma arma de plástico que simula tiros na tela.

Odyssey teve 350 mil unidades vendidas. Porém, alguns fatores prejudicaram esse sucesso comercial, como o próprio marketing do produto: muitos consumidores tinham a falsa impressão de que o videogame só funcionaria em aparelhos de TV da mesma marca, a Magnavox — essa informação falsa era disseminada pelos próprios vendedores do varejo. O console era vendido por US$ 100, mas, se você levasse uma TV junto, ele saía por US$ 50.

Outro fator que prejudicou as vendas foi o lançamento do Pong, um “clone” que marcou a fundação da Atari, no mesmo ano do Odyssey. Em 1974, a Magnavox entrou com uma ação judicial contra esta e várias outras empresas que vendiam jogos similares aos seus.

Resultado: a Atari concordou em pagar US$ 1,5 milhão à Magnavox e licenciou sua tecnologia para continuar a vender Pong e outros jogos posteriores. Se contabilizarmos todos os processos por patente, a dona do Odyssey faturou mais de US$ 100 milhões no total.

Deixe um comentário